Concrete Digital faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Concreto sem cimento: o que é e como funciona?

Concreto sem cimento - o que é e como funciona.jpg
O concreto sem cimento é uma técnica inovadora para a construção civil. A inovação foi desenvolvida por cientistas do Instituto de Ciência Industrial, em Tóquio. Confira!

Você já ouviu falar em concreto sem cimento? Será que isso é possível? Bem, não é nenhuma novidade que o concreto é o material de construção mais utilizado no mundo, sendo ele o resultado de uma mistura de agregados (areia, brita, água e cimento).

Dessa forma, o cimento é o responsável por unir esses agregados, proporcionando ótimas propriedades de ligação. 

No entanto, existem alguns experimentos e pesquisas que visam reduzir a produção de cimento, visto que ele contribui para a poluição e acelera o aquecimento global.

Vamos entender mais sobre essa novidade que é o cimento sem concreto? Para falar um pouco sobre a temática, conversamos com a engenheira da BR Work e especialista em concreto, Flavia Duque. Boa leitura!

O que é o concreto sem cimento? 

O concreto sem cimento é uma técnica inovadora para a construção civil. Ela foi desenvolvida pelos cientistas japoneses Yuya Sakai e Ahmad Farahani, que criaram a novidade no Instituto de Ciência Industrial, da Universidade de Tóquio.

O concreto sem cimento é uma alternativa interessante para reduzir a emissão de CO2 na atmosfera, contribuindo de forma significativa para proteger o meio ambiente. 

Você também pode gostar de ler: Reduzir a “pegada” de carbono é prioridade para a indústria do cimento.

Como funciona o concreto sem cimento?

“Há o desenvolvimento de uma ligação direta entre as partículas de areia através da reação química de um álcool na presença de um catalisador”, explica a engenheira Flavia Duque, ao falar sobre o funcionamento do concreto sem cimento.

Portanto, os cientistas encontraram no tetraalcoxissilano (composto resultante do processo acima) o candidato ideal para a produção do concreto sem cimento.  

“A ideia de produzir tetraalcoxissilano a partir da areia em reação com álcool e um catalisador, resultando no processo chamado sol-gel garantindo a união entre as partículas e a resistência do concreto, se faz interessante pela infinidade de recursos alocados nessa tecnologia”, complementa a engenheira.

O concreto sem cimento já está no Brasil? O que pode mudar com seu uso?

Flavia conta que, infelizmente, essa nova tecnologia ainda está sendo desenvolvida apenas em solo japonês. Portanto, ainda não é possível encontrá-la no Brasil. No entanto, se tudo der certo, trata-se de algo realmente revolucionário para o setor da construção civil.

Para ela: “A maior mudança no setor se dá às novas possibilidades de construção em regiões desérticas, onde se estuda até a construção na Lua e em Marte. Também há uma redução muito significativa de emissão de gases causadores do efeito estufa. Além disso, há uma maior resistência e durabilidade das edificações”. 

O que pensam especialistas da área sobre a inovação do concreto sem cimento?

O concreto sem cimento é uma alternativa interessante e, sem dúvida, é uma descoberta revolucionária.

Afinal, podemos considerar que é uma das evoluções do concreto, visto que ele será produzido a partir de materiais inesgotáveis, além de não prejudicar o meio ambiente.

Inclusive, diversos cientistas vêm buscando novas alternativas para substituir o cimento na produção de concreto, como é o caso da utilização da escória de alto forno e as cinzas volantes. 

“No entanto, normalmente, elas são impraticáveis devido à falta de insumos quando avaliamos o cenário a longo prazo”, afirma Flavia.

Que outras novidades semelhantes estão em desenvolvimento e podem surgir em breve na construção civil?

“Acredito que, em breve, surgirão outras descobertas para transformarmos a construção civil em um setor mais ‘verde’ e econômico”, aposta Flavia.

A engenheira nos conta que já podemos acompanhar algumas pesquisas de bioconcreto — onde há propriedades de regeneração das rachaduras e fissuras por meio da adição de bactérias em sua composição. 

Porém, ainda há muitos desafios, pois Flavia reforça que isso se tornará uma opção econômica menos vantajosa de imediato. 

Gostou de aprender mais sobre o concreto sem cimento? Se sim, que tal conferir a nossa matéria sobre: sustentabilidade e inovação: questão de competitividade? Boa leitura!

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar